Série a voz Tricolor: Um julgamento sob suspeita?

Um julgamento sob suspeita?

Por Ronaldo Souza

Lembro do ex-Presidente do Brasil, Fernando Collor de Mello. Houve alguns acertos na sua gestão, mas também foram muitos os equívocos e desatinos cometidos por ele. Percebia-se, entretanto, sem muita dificuldade, que ele se julgava o maior dos presidentes, um injustiçado.

Podemos traçar um paralelo com a personalidade do também presidente Marcelo Guimarães Filho. Não tenho nenhuma dúvida de que ele pensa que é o maior presidente que o Bahia já teve. A seu favor, a volta à série A e o campeonato baianno de 2012, este um argumento não muito consistente. Além disso, algumas coisas mais e a reestruturação da academia do Bahia e a construção da Cidade Tricolor que, na verdade, talvez precise de um tempo para uma análise mais equilibrada das suas reais vantagens.

Poderíamos ainda incluir o que parecia ser um dos pontos fortes da sua gestão: a recuperação da base tricolor. Mas não podemos. As transações feitas com alguns dos jogadores, sem que se soubesse nada sobre como aconteceram, mostram isso claramente. Agora, ao demitir Newton Mota com tantas irregularidades escondidas em baixo do tapete, demonstra a sua total incompetência. Parece estar sofrendo nas mãos de Mota o mesmo problema que se diz que Paulo Maracajá, ídolo e inspirador de Marcelo Filho, sofreu à sua época; a destruição da base. Jogadores criados com altos custos para o clube durante anos, estão saindo nas condições que estamos vendo e tudo faz crer que outros seguirão o mesmo caminho. Sem dúvida, mais um prejuízo incalculável para o Bahia na conta do presidente.

Mas ele não sai. Diz que não sai. Começo a acreditar que não sai.

O novo julgamento para análise de uma possível nova intervenção pulou do dia 04/06 para 11/06 e depois para 18/06, sem nenhuma explicação, uma única sequer..

O julgamento que decidiria sobre a suspeição do juiz Paulo Albiani Alves no processo de intervenção no tricolor estava marcado para o dia 13/06/2013 (quinta-feira). Se ficasse comprovado que o juiz não podia ser considerado suspeito, o processo de intervenção seria confirmado. O julgamento foi adiado. As informações são de que o juiz relator Augusto de Lima Brito, está afastado por motivos de saúde. Ouvi algo interessante: estaria em julgamento a suspeição do juiz. Agora está sob suspeição o julgamento.

Marcelo Guimarães Filho é um homem frio, o Bahia nada representa para ele. No entanto, confesso a minha surpresa diante do deboche absurdo que ele fez com a justiça baiana no ano passado. Frio ou estúpido?

Ou então muito consciente de que nada vai acontecer. Como explicar o convite feito à imprensa para mostrar as instalações da Cidade Tricolor exatamente no mesmo dia em que corria o risco de sofrer um processo de intervenção? Quem conseguiria tal façanha, manter-se tão alheio e indiferente diante da iminência de tamanho perigo? Muita frieza... ou então a certeza da impunidade.

Em A luta e a tristeza de uma torcida escrevi Com a autenticidade dos puros e bem intencionados, ele pergunta com a resposta já embutida; “estão armando?”. Referia-me ao povo. Depois desse adiamento do julgamento, percebi que algumas pessoas já tiraram a interrogação: “estão armando”. Tenho muito receio de que depois falem: não disse?

O ex-Presidente Collor não ficou só até os momentos finais antes do seu impeachment. Entre outros, sabe-se que o mais notório político baiano ficou ao seu lado. A Rede Globo também.

Marcelo Guimarães Filho demonstra que também não está só.

Com a palavra, a justiça da Bahia.

FORA MGF
Série a voz Tricolor: Um julgamento sob suspeita? Série a voz Tricolor: Um julgamento sob suspeita? Reviewed by Paulo Ricardo Santos on 13:00 Rating: 5

Nenhum comentário

Fala tricolor!