sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Entrevista de Ávine sobre o seu retorno

O lateral-esquerdo, Ávine, que em 2012 pouco jogou devido a problemas com contusões. Especialmente uma tendinite concedeu uma entrevista ao A Tarde. Confira.

Qual é a sensação de estar novamente próximo do retorno?
Primeiro, queria agradecer a Deus. Ele tem me fortalecido esse tempo todo que fiquei parado. Sinto-me feliz por estar voltando à atividade. Era algo que eu estava querendo muito. Voltar a treinar, fazer parte do grupo.

O que passa na sua cabeça agora, aparentemente recuperado das consecutivas lesões que o atormentam desde 2011?
Para ser sincero.. (pausa) não passa nada pela cabeça. Só tenho entregado nas mãos de Deus. Estava descansando, porque sabia que uma hora minha vitória iria chegar. Então, estava muito tranquilo em relação a isso.

Como essa lesão te atrapalhava em campo?
Eu tinha uma inflamação óssea que não me deixava fazer qualquer esforço físico sem sentir dor.

Houve na imprensa boatos de que o Departamento médico do Bahia havia errado quando fez no início do ano uma astroscopia em seu joelho direito...
Nada a ver. Sempre foram cuidadosos. É que minha estrutura muscular não é das melhores e eu sou fominha de baba. Mas fui ao médico Moisés Cohen, especialista em joelho, lá em São Paulo, que falou comigo e toda a equipe do Bahia. Ele disse que estou no caminho certo. Me deixou mais tranquilo.

Teme que a ansiedade possa lhe atrapalhar neste seu retorno?
Não, pois estou bem tranquilo, focado no trabalho. Tenho conversado muito com os médicos do Bahia. O Marcos Lopes, que me ajudou muito, o doutor Sérgio, que me acompanhou de perto, os meninos da fisioterapia - Neto, André e Diogo. Tenho conversado muito, estamos com um planejamento de treinamentos. Estou com os pés no chão e, aos poucos, vamos ganhando confiança.

O final do ano está chegando, as férias também. Irá usá-las para aprimorar a parte física?
Com certeza. Já conversei com os fisioterapeutas e os preparadores físicos. Nas férias terei que continuar trabalhando pra não perder a massa muscular que ganhei. Essa é minha vida agora. Estar sempre na academia, me fortalecendo. Quero retornar para a pré-temporada junto com o grupo.

Você é visto como xodó da torcida. Isso tem lhe ajudado?
Tenho conversado muito com torcedores pelo Twitter. Eles sempre têm mandado mensagens de apoio e confiança. Então, isso tem me fortalecido também. O que queria era estar dentro de campo, fazendo o que gosto, mas saber que ainda sou uma peça querida me deixa feliz.

Como é que você analisa o time atual do Bahia?
Uma equipe que se encontrou dentro de campo, aguerrida, forte. Estou torcendo muito pelos meus companheiros, mesmo de fora, acompanhando pela TV. Fico naquela tensão pra que eles possam alcançar as vitórias. Vou continuar orando para que o time possa conseguir os objetivos e permanecer na Primeira Divisão.

O que mudou em você com a vinda dos tempos difíceis?
Muita coisa. A grande mudança foi que aceitei Jesus. Hoje, tenho uma vida de paz, de família. Vivo com minha esposa Karla há cinco anos e temos um filho (Ávine Filho, 2 anos). Antes disso, bebia muito, saía quase todo dia e tinha amizades ruins. Agora, minha vida se resume a futebol, Bahia, Jesus e família. Sou uma pessoa melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala tricolor!